Você confia nos seus líderes e colaboradores? Ir para o conteúdo principal

O empreendedor de pequeno e médio porte trabalha de forma muito ativa dentro do negócio: participa das atividades e, em geral, é a principal engrenagem que faz a máquina funcionar! Qualquer decisão, de alguma forma, envolve o empreendedor!

Nesse cenário, a sobrecarga de atividades ligadas aos problemas do dia a dia absorve todo o tempo do empreendedor, sobrando quase nada para pensar sobre o futuro do negócio e o futuro dele dentro do negócio!

Leia mais: Empreendedor, você consegue dedicar parte do seu tempo para pensar no futuro do seu negócio?

Sem direcionamento, as pessoas dentro da organização acabam criando a sua própria forma de entregar o que a empresa se propõe a fazer, o que gera muitos conflitos internos, perda de talentos e da identidade do negócio, insatisfação dos clientes, queda na produtividade e perdas financeiras, entre outros pontos.

Para evitar esse cenário, o empreendedor acaba se envolvendo em todas as atividades, centralizando decisões e se ocupando das pequenas atividades do dia a dia – e, naturalmente, construindo lideranças e equipes dependentes, enfraquecidas, que pouco contribuem ou colaboram na busca de soluções e inovações para o negócio.

Tudo isso se torna um grande círculo vicioso que não permite mudanças e que diminui cada vez mais o ambiente de confiança dentro das organizações.

É bastante comum presenciarmos nas empresas todos os colaboradores acessando o empreendedor para tomadas de decisões bastante simples, empreendedores não poderem tirar férias sem responder o dia todo mensagens no Whatsapp, dificuldade em permanecer em uma reunião por mais de duas horas sem ser interrompido por um colaborador dizendo que é um assunto “urgente” ou mesmo não conseguir manter uma frequência regular para atividades fora do trabalho, como por exemplo, a prática de exercícios físicos.

Todos estes fatores tem origem na ausência de confiança por parte do empreendedor de que uma equipe bem treinada pode realizar as tarefas tão bem-feitas quanto ele, só que para isso é fundamental saber delegar e investir tempo e dinheiro em treinamentos e capacitações.

Confiança é acreditar nos valores e competências de outra pessoa, portanto exige a construção de um relacionamento e comprovações constantes de que essa confiança é merecida.

A confiança é uma via de mão dupla. Para que ela seja construída, é necessário que as duas partes estejam abertas à possibilidade e que haja oportunidades reais para que o outro se prove valioso e competente.

Isso no ambiente de trabalho é muito importante, pois desde o momento da contratação é necessário que o empreendedor e as lideranças estejam dispostos a encaixar esse novo colaborador na equipe, que a sua missão do cargo já esteja planejada pensando em todas as suas tarefas e responsabilidades reais, para que depois não haja sobrecarga do novo integrante da equipe ou das lideranças

Leia mais: Missão do Cargo: contratando com Propósito

 Após a contratação, é necessário que o empreendedor construa oportunidades onde o colaborador possa constatar seu valor dentro da equipe e o colaborador se dedique a gerar valor, desta forma estabelecendo uma relação mutua de confiança.

Abaixo seguem alguns outros pontos fundamentais para construir um ambiente de confiança na sua empresa:

– Clareza de Propósito e Identidade do negócio

– Cultura organizacional fortalecida com lideranças trabalhando alinhadas a Identidade da Organização

-Contratações de novos colaboradores através de um processo de recrutamento e seleção bem estruturados e alinhados a Cultura Organizacional da empresa.

– Missão de cada cargo bem definido e um processo de integração no qual o novo colaborador possa ter clareza sobre suas atividades e o seu papel para apoiar a empresa na entrega de valor.

– Suporte e apoio ao novo colaborador principalmente no seu primeiro mês de trabalho, ele precisa ser acompanhado não só pelo líder, mas também por seus pares e pelo gestor de pessoas da empresa.

– Permitir a experimentação, permitir que o novo colaborador tenha um período de adaptação a nova função e a cultura da empresa.

– Lideranças dispostas a ensinar e se dedicar a capacitação do colaborador. É importante que o empreendedor e as lideranças saibam passar para o colaborador exatamente o que esperam dele e estejam abertos para dúvidas e sugestões.

– Permitir que o colaborador possa encontrar a sua melhor forma de realizar a sua missão na organização. Um empreendedor e uma liderança que desejam tudo feito ao seu modo não estão aproveitando em totalidade o potencial da sua equipe, além de diminuir a possibilidade de construir um ambiente que estimula a inovação.

Leia mais: Por que o Propósito tem sido tão discutido atualmente?


O quanto a sua empresa tem um ambiente que estimula e permite a construção de confiança entre as pessoas?

×