Chefe Autoritário x Líder Liberal: Os impactos no seu negócio! Ir para o conteúdo principal

A discussão de “chefe x líder” surgiu há algum tempo e vem aprofundando cada vez mais os argumentos.

Na definição popular, “chefes” são aqueles hierarquicamente acima dos demais da sua equipe e que, por isso, esperam obediência completa, muitas vezes sendo grosseiros, dando ordens espalhafatosas apenas para inflar seu ego, sobrecarregam colaboradores, entre muitos outros aspectos negativos.

Enquanto o “líder” é percebido e admirado como um herói. Ele une a equipe, incentiva a participação de todos nas decisões, é empático com seus colaboradores, é consciente e atualizado sobre o mundo corporativo adotando uma postura muito mais liberal do que seu antônimo.

Leia mais: Tendências de liderança que vieram para ficar

Mas até que ponto qualquer um dos extremos é negativo para o funcionamento do negócio?

Sendo um Chefe autoritário

Ser um líder extremamente autoritário pode trazer diversas situações negativas para a empresa.

Alta rotatividade de colaboradores, principalmente de talentos, é um dos principais. A verdade é que ninguém quer viver sob o guarda-chuva de uma pessoa autocrática. E aqui não precisamos chegar ao extremo do assédio moral para notar os problemas surgindo. A falta de incentivo e autonomia desmotiva os colaboradores, que não se sentem unidos e trabalham apenas por sobrevivência, pelo salário ao final do mês.

Gestores autoritários são grandes incentivadoras da “cultura do eu”, onde o vitimismo, a culpabilização e a lei do mínimo esforço imperam. Sem ter motivação para entregar resultados, os colaboradores passam a realizar o mínimo de suas funções por receio de serem sobrecarregados caso contribuam mais pela empresa.

Leia mais: Benefícios de gerar autonomia para os colaboradores

A inovação e diferenciação nos serviços e produtos cai a níveis alarmantes. Sem liberdade para trazer sugestões de melhoria, a equipe fica a mercê das decisões da liderança que, focada apenas em suas próprias experiências e referências, não traz ideias novas.

Conflitos entre colaboradores são comuns. E pior: conflitos entre a gestão e sua equipe são rotineiros. Os colaboradores, com receio de conversar com o gestor, guardam informações relevantes para si, prejudicando a entrega do serviço, gerando insatisfação dos clientes e consequentemente mais cobrança e conflitos internos.

É importante ressaltar aqui que não adianta apenas trocar os colaboradores nesse caso. Essas atitudes não são inatas a eles, mas incentivadas por um estilo de gestão que já se provou ineficiente ao longo dos anos.

Sendo um Líder Liberal

Enquanto os problemas da gestão autoritária são extremamente visíveis, os das lideranças extremamente liberais podem ser mais discretos, mas trazem prejuízos e desaceleração da mesma maneira.

Um líder liberal demais inspira pouco respeito, deixando sua equipe com quase nenhuma supervisão ou assistência.

Muitos conflitos tendem a surgir, a maioria de cunho pessoal. Sem a presença de uma liderança forte, os colaboradores tendem a querer tomar o papel de líder da equipe, o que gera muito desconforto e ataques que poderiam ser facilmente evitados.

Começam a surgir diversas lideranças informais com discursos muito diferentes e que pouco conhecem do propósito da empresa. A cultura organizacional enfraquece rapidamente, pois os colaboradores não sabem qual caminho seguir, desta forma o valor percebido pelo cliente passa a ser cada vez menor.

Leia mais: Identificando e aproveitando lideranças informais na equipe

Neste cenário a produtividade fica extremamente baixa, gastasse muita energia dos colaboradores tentando entender o que fazer e de quem seguir as orientações, se do líder liberal ou dos líderes informais que vão surgindo, e pouco tempo focado em realizar as suas tarefas.

O meio termo – Líder Consciente!

Procurar uma gestão mais democrática, mas que deixe claro suas expectativas, entregas e aplique com segurança o Propósito da organização é o ideal.

O Líder Consciente incentiva a inovação, por ser aberto a sugestões e iniciativas dos colaboradores. Ele ouve e é empático com todos, desta forma se torna acessível a novas ideias gerando melhorias contínuas na empresa.

Conflitos são rapidamente dissipados. Lideranças Conscientes possuem um bom relacionamento com suas equipes e conseguem perceber conflitos com mais agilidade, solucionando o problema de maneira mais acertada e rápida utilizando sua inteligência emocional e sua visão sistêmica para entender o contexto e poder tomar decisões com foco no que é melhor para a organização, e consequentemente para todos.

Além disso, como multiplicadores da cultura organizacional, o Líder Consciente toma decisões rápidas e conscientes respeitando o que a empresa estabeleceu como Identidade e tendo como direcionador a Visão de Futuro e as metas estabelecidas, diminuindo a necessidade e intervenção do empreendedor nas tomadas de decisões do dia a dia.

Leia mais: O que é cultura organizacional e qual o impacto no seu negócio?

A produtividade, motivada por uma liderança forte e a aplicação correta do Propósito, cresce rapidamente. As entregas tornam-se cada vez mais assertivas em relação à necessidade do cliente, e a empresa cresce com rapidez.

Lideranças Conscientes incentivam a autonomia da equipe, conseguindo mais tempo para focar seus esforços em decisões estratégicas e no futuro do negócio.

O trabalho de construção de Lideranças Conscientes nas organizações é um dos principais pilares do Instituto Mudita. Com um profundo processo de autoconhecimento, é possível que as lideranças passem por grandes mudanças em sua forma de gestão, criando a percepção de seus desafios, se conectando com os seus talentos e competências, passando a perceber a importância da união de diferentes talentos para potencializar o alcance dos resultados e entregas do negócio.


Empreendedores e lideranças, como vocês estão gerenciando suas equipes? Já procurou identificar o seu estilo de liderança? O quanto você está agindo para ser um Líder Consciente e estar alinhado ao que é melhor para a organização?

×