Conviver com você mesmo é possível? Ir para o conteúdo principal

Em uma conversa (remota, claro) com um amigo e cliente, sobre a atual situação que estamos passando, ele fez um comentário muito interessante:

“As pessoas antes reclamavam de não ter tempo suficiente para si por conta do trabalho. Agora estão afastadas e com tempo sobrando, mas reclamam da falta de rotina e sentem-se entediados. Percebo que o problema não é trabalhar ou não trabalhar, mas ter sempre uma desculpa para não precisar conviver consigo mesmo.”

Este comentário me trouxe uma reflexão sobre o assunto: constantemente nos encontramos procurando algo para fazer ou nos distrair, assim não precisamos refletir e nos concentrar em nós mesmos.

Dorli Kamkhagi, psicóloga do Laboratório de Neurociências do IPq do HC-FMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo), explica sobre o assunto que “é muito difícil o exercício de estar voltado para dentro de si. No momento em que eu me olho e percebo quem eu sou, passamos a perceber nossos buracos de medos, dores e inseguranças e não é fácil entrar em contato com todas essas partes. (…) A gente só se constrói e cresce realmente quando podemos suportar realmente quem a gente é”.

Por que isso acontece?

Por natureza nós, seres humanos, tendemos a fugir de certos confrontos. Percebemos isso no dia a dia, socializando com outras pessoas, mas também podemos perceber como é refletirmos sobre nossos erros, atitudes e nos reconectar com o nosso verdadeiro Propósito.

Conviver com você mesmo significa conseguir entrar em contato com todos os seus erros e acertos, com todas as suas fraquezas e fortalezas, colocar em prática os seus talentos e competências a serviço do que seja relevante para você, buscar um crescimento não somente financeiro, e sim também  que gere realização pessoal e profissional a partir da nossa essência.

Ao longo da vida, por diversos estímulos externos negativos, existe uma grande probabilidade de nos distanciarmos consideravelmente de todos os nossos talentos e potencialidades e também do que realmente é relevante, consequentemente nossas escolhas ao invés de nos aproximar do que nos gera bem-estar,  pelo contrário vão nos distanciando cada vez mais do nosso eu, do nosso bem estar, de quem verdadeiramente somos, gerando baixa produtividade, estagnação, depressão, ansiedade ou exaustão por excesso de atividades sem significado.

A frustração, o distanciamento de si, insatisfações e dores que deixamos que aconteçam continuamente, ou mesmo a falta de compreensão do que está causando todos esses sentimentos negativos, nos leva a uma posição de vítima, onde nos colocamos como injustiçados e perseguidos pelo mundo, sem entender realmente o que desejamos mudar, entrando em um estado de acomodação e aceitação.

Autoconhecimento: um caminho para a transformação

O autoconhecimento é o caminho para buscar identificar os padrões que se repetem ao longo da nossa vida e que geram sempre os mesmos resultados, nos colocando em situações que nos agridem de alguma forma: física, emocional ou mental.

Através dele também é possível se conectar com as nossas fortalezas para acessar os recursos necessários para superarmos estes obstáculos e alterar estes padrões permitindo que as transformações profundas internas aconteçam gerando ações diferentes, na prática e no dia a dia das nossas vidas, carreiras e negócios.

Uma jornada de autoconhecimento te fortalece de dentro para fora, aumentando a sua autoconfiança e a confiança no outro, tornando suas decisões mais assertivas, suas ações mais direcionada para objetivos maiores e sabendo que recursos internos você tem e quais você precisa criar parcerias com outras pessoas para somar aos seus talentos e gerar os resultados que você busca na prática.

Além disso o autoconhecimento aumenta a sua inteligência emocional, interpessoal e intrapessoal para que você possa lidar com os diferentes sentimentos que possam surgir ao longo do seu dia e da sua vida como um todo. Aprendendo a criar mecanismos para lidar com estes sentimentos e evitar desenvolver doenças ou hábitos não saudáveis.

Poucos empreendedores e líderes realmente usufruem do autoconhecimento como uma ferramenta para fortalecer a sua atuação profissional.  Uma jornada de autoconhecimento gera um impacto muito maior que qualquer curso para adquirir novos conhecimentos e ferramentas.

A grande maioria dos empreendedores e líderes estão mais acostumados a adquirir e somar conhecimentos e ferramentas ao seu repertório, do que investir no autoconhecimento, que visa extrair todos os seus potenciais interno, eliminando barreiras que impeçam de aflorar todos os seus talentos, e estruturando direcionamentos futuros para colocar tudo que tem de melhor a serviço do que é relevante e gera impacto positivo em suas vidas, carreiras e negócios.

A verdade é que o autoconhecimento traz a percepção de que você é o comandante da sua vida. Nos tira da posição de vítima para a posição de protagonista das nossas vidas. Nos responsabiliza pelas nossas escolhas, caminhos e atitudes e força a reflexão sobre o que é necessário mudar para que você consiga verdadeiramente alcançar a realização pessoal.

Como facilitadora da Mentoria de Propósito e Visão de Futuro no Instituto Mudita, já apoiei diversos empreendedores e líderes em processos de autoconhecimento, e posso afirmar que as transformações foram grandes, positivas e com mudanças na prática. Sócios que estavam quase se separando e se uniram novamente, construindo uma relação mais forte e estável do que antes. Líderes desmotivados e perdidos que voltaram a se conectar com a empresa e o seu papel. Empreendedores desmotivados com grande propensão de fechar a empresa, que se engajaram novamente e voltaram a crescer o negócio. Sucessores que não eram respeitados pelos colaboradores, e conseguem conquistá-los e assumem um papel de líder gerando crescimento rápido e efetivo para o negócio. Profissionais desempregados que se recolocam no mercado atuando em papéis mais alinhados com o seu perfil.  Profissionais perdidos em suas carreiras que se conectaram novamente com a sua essência buscando caminhos mais promissores, e muitos outros.

Para explicar melhor o impacto do autoconhecimento em empreendedores e líderes, e consequentemente nas suas carreiras e negócios, eu vou trazer um exemplo: um líder que foi promovido e que não está fortalecido internamente para lidar com este novo papel.

Ao alcançar este nível hierárquico mais alto, o líder passa a tratar seus colaboradores com rispidez, se afasta da equipe, exige resultados irreais e percebe constantemente a queda na produtividade. A rotatividade entre os seus liderados é alta, poucos (ou nenhum) dos talentos contratados se mantém na empresa por muito tempo. Como solução, ele constantemente tenta resolver o problema com novas metas, mudanças extremas na equipe, mais rispidez e consequentemente sem ver resultados vai acumulando funções operacionais por não confiar em seus colaboradores, deixando de lado o pensamento estratégico do negócio para focar em tarefas operacionais.

Tudo isso gera no líder frustração, dificuldade de aplicar as mudanças necessárias, encontra muitas objeções e poucas soluções na equipe, e o crescimento do negócio sofre impactos sérios.

Em geral sua atitude é de vítima, culpando os outros e as circunstâncias, não assumindo e reconhecendo a sua parcela de responsabilidade sem perceber como suas próprias atitudes e decisões interferem em tudo isso.

O Autoconhecimento como Solução

Com o autoconhecimento, essa liderança passa a compreender que precisa partir dele a verdadeira mudança deste cenário, passando a identificar como suas ações geram como consequência os resultados que estão sendo apresentados.

Com um olhar mais cuidadoso sobre si mesmo, esse líder consegue mudar suas atitudes diárias, aproximando-se da equipe, definindo metas realistas, passando mais feedbacks positivos do que negativos e delegando tarefas que diminuam a sua sobrecarga, deixando-o mais livre para pensar estrategicamente no futuro do negócio.

Ao entrar em contato com suas próprias dores, medos e incômodos, é possível gerar transformação e diminuir as exigências sobre si, lidando melhor com suas responsabilidades e se conectando com seus recursos internos para se fortalecer e lidar melhor com os desafios do dia a dia.

O autoconhecimento também proporciona a este líder a percepção dos talentos que possui e dos talentos que são necessários se unir a outras pessoas como colaboradores, parceiros ou mesmo outros líderes para conseguir desenvolver um bom trabalho.

Esta jornada também melhora sua qualidade de vida e consequentemente sua atuação profissional, consegue encontrar hobbies que aliviem sua mente do trabalho, organizar melhor seus horários, e definir o que é essencial para si: seja conseguir jantar com a sua família, estar livre aos finais de semana, passar mais tempo com seus filhos ou praticar atividade física ou qualquer outro momento que seja visto como importante.

Com a mente mais leve, uma equipe mais engajada e um olhar estratégico para o negócio, essa liderança consegue propor mudanças que irão realmente impactar a organização, tomar decisões com mais facilidade e trazer soluções mais inovadoras para seus clientes, incentivando o crescimento da empresa.

Buscando o autoconhecimento

Existem diversos caminhos para buscar o autoconhecimento, aqui no Instituto Mudita, com o objetivo de se adaptar a realidade de vida e trabalho de empreendedores e lideranças desenvolvemos uma metodologia própria, prática e dinâmica, que permite gerar mudanças imediatas nas atitudes e ações de quem participa, tanto em suas carreiras quanto nos negócios.

Além disso estruturamos diferentes caminhos para se adaptar a realidade de cada situação, atuando através de mentorias individuais ou jornadas em grupos, podendo ser contratada diretamente pelo líder e profissional ou contratada por empresas.

Nós podemos apoiar você a alcançar o seu verdadeiro potencial para lidar com estes novos desafios. Agende uma conversa gratuita (11) 97687-4331 e dê mais um passo a caminho do seu futuro.

×