Cuidados ao trazer um talento pronto para a organização. Ir para o conteúdo principal

Muito tem se falado no mundo corporativo, especificamente nos departamentos de recursos humanos, sobre estratégias e gestão de talentos. Gerenciar profissionais de maneira eficaz em uma organização não é tarefa fácil, mas é fundamental para o crescimento do negócio e para a construção de uma cultura organizacional sólida.

E ao pensar em gerenciamento, muitos ficam em dúvida na hora de contratar um profissional: qual seria mais vantajoso? Opção 1: admitir alguém em um cargo júnior, pensando a longo-prazo, no crescimento do colaborador alinhado aos valores e princípios da empresa. Opção 2: contratar um colaborador sênior, que venha para agregar imediatamente e que carrega a cultura de outra empresa?

Um estudo de 2012 realizado por O’Boyle Jr. e Aguinis que avaliou mais de 600 mil pessoas, dentre elas pesquisadores, políticos, atletas e profissionais do entretenimento, constatou que aqueles que apresentam um desempenho maior (best performers) são 400% mais produtivos do que a média.

Levando em consideração o mundo corporativo, os resultados são bem similares, principalmente, em trabalhos mais complexos, em que um colaborador com alto desempenho chega a ser 800% mais produtivo do que a média dos demais colaboradores.

É por isso que no momento da contratação, muitas organizações acabam optando por talentos prontos com maior desempenho comprovado, que podem chegar já contribuindo para as estratégias e objetivos pré-estabelecidos da empresa.

Porém, há alguns pontos a serem considerados no momento da aquisição de um talento pronto:

Vantagens

As principais vantagens de se contratar um profissional experiente para a sua organização se encontram principalmente em:

  • Produtividade: um talento já pronto e de alto desempenho vai iniciar dentro da organização com alta produtividade, principalmente, por já ter uma experiência prévia em cargos similares, ou dentro do nicho da empresa;

  • Conhecimento: um profissional sênior consequentemente possui maior conhecimento, seja por meio da educação (graduações, pós-graduações, MBAs, cursos etc.), ou por já ter trabalho em diferentes organizações. Isso faz com que ele aporte uma visão mais ampla, podendo trazer diferentes perspectivas na resolução de problemas e inovação para novas estratégicas;

  • Melhora o desempenho da equipe: ao trazer toda uma bagagem de conhecimento e experiência, esse profissional apresentará um bom resultado, estimulando outros colaboradores no ambiente de trabalho a aumentarem sua produtividade e desempenho;

  • Aceleração de processos/eficiência: além de trazer algo novo, esse talento terá as habilidades necessárias para implementar as atividades de maneira rápida e eficaz, acelerando processos e contribuindo para o crescimento exponencial da empresa;

  • Networking (rede de contatos): como está há mais tempo no mercado de trabalho, é natural que o talento pronto tenha tido mais tempo de estabelecer contatos dentro da indústria, podendo, assim, facilitar a interação da organização com outras pessoas e negócios.

Pontos de Atenção 

Apesar das vantagens listadas acima, ao contratar um profissional mais experiente, é necessário levar em consideração alguns pontos:

  • Custo elevado: a contratação de um colaborador sênior exigirá da empresa um salário mais elevado do que a contratação de uma pessoa em um cargo júnior. Além disso, se for um profissional que possui um conhecimento bem específico dentro da indústria, não somente o salário será alto, mas também a concorrência com outras empresas interessadas nele. Daí a importância de se pensar na aquisição de um talento como um investimento, que assim como qualquer aporte financeiro, pode gerar riscos.

  • Bagagem: por ter passado pela fase de amadurecimento profissional em outras empresas, esse talento pode vir com uma bagagem cultural correspondente a essas outras empresas, principalmente, se elas tiverem uma cultura organizacional muito distinta da sua empresa. Por isso, ao realizar a contratação de um talento pronto é fundamental entender qual a bagagem cultural dele e até que ponto ela se adequa e/ou se alinha com a identidade cultural da sua empresa, para que não haja conflitos e a perda de confiança.

  • Tempo para assimilar a nova cultura: o profissional experiente também passará por uma curva de aprendizado ao ter que se adaptar à cultura organizacional da empresa. E isso pode levar tempo, principalmente, se a Identidade Cultural da nova empresa for muito distinta da empresa anterior.

A assimilação cultural talvez seja um dos pontos mais importantes a serem levados em consideração na hora de contratar um talento pronto.

Segundo uma pesquisa realizada pela CareerBuilder em conjunto com a SilkRoad, 93% dos profissionais concordam que uma boa experiência onboarding (processo de integração de novos colaboradores) é fundamental na hora de influenciá-los a ficar na empresa. Além disso, um bom programa de onboarding pode levar até 69% dos colaboradores a trabalharem por pelo menos três anos para a organização.

Durante o processo de aculturação, o profissional precisa se sentir acolhido pela empresa para, assim, começar a construir os laços de confiança com a organização e o sentimento de pertencimento desde o início de sua jornada, independente se ele é um colaborador em início de carreira ou um colaborador com muita experiência.

Além disso, o profissional precisa estar disposto a aprender sobre a cultura organizacional da empresa e querer fazer parte da mesma. Apesar de já vir preparado para o cargo que vai assumir, se faz necessário abdicar da bagagem cultural anterior e assumir uma nova.  Portanto, por mais que o talento esteja pronto nas competências técnicas da função, perante a nova cultura da empresa ele ainda está em processo de aprendizado. Por isso é tão importante durante os processos de recrutamento e seleção de talentos verificar o quanto o profissional, apesar do seu talento e bagagem, tem a humildade de perceber que em relação a cultura desta nova empresa ele é um aprendiz.

Também é fundamental que ele seja propriamente introduzido à cultura organizacional da empresa, aos colegas de trabalho e lideranças, aos processos, normas, estratégias e objetivos para não se sentir deslocado, insatisfeito e improdutivo.

Se essa experiência onboarding (processo de integração) não acontece, conflitos podem ser gerados entre pessoas, equipes e departamentos, podendo até mesmo levar a uma crise cultural no ambiente de trabalho. Esse novo talento já não é mais visto como inspiração e a sua atitude pode até mesmo levar outros profissionais a se desmotivarem, diminuindo o seu engajamento.

Portanto, para uma assimilação cultural clara e bem definida é necessário ter um processo de sustentação de cultura que envolve toda a jornada de experiência do colaborador desde a sua contratação, integração à cultura, até o seu desenvolvimento e crescimento dentro da organização.

Nós do Instituto Mudita podemos te auxiliar na construção de um Recursos Humanos (gestão de pessoas) estratégico capaz de garantir a sustentação de cultura junto a sua empresa, com recrutamento e seleção por competência,  mecanismos de integração que abarcam a criação de regulamentos, boas práticas e programas de mentorias para alinhar o colaborador à cultura organizacional.

Também damos suporte na criação de estruturas necessárias para o desenvolvimento desse colaborador, que envolvem feedbacks, planos individuais, formação de lideranças multiplicadoras da cultur e processos de alinhamento por competências.

Agende uma reunião pelo WhatsApp 011 99785-4331 para conhecer mais a fundo o nosso Processo de Sustentação da Cultura Organizacional.

Outros textos que podem te interessar:

Importância da Cultura Organizacional para atrair e reter talentos

Como os temas Diversidade, Equidade e Inclusão podem impactar o seu negócio?

5 passos para colocar a Cultura Organizacional em prática

 

×