ESG: relação com a Cultura e o impacto no seu negócio Ir para o conteúdo principal

O conceito do ESG, abreviação de ‘Environment, Social and Governance’ (Ambiental, Social e Governança, ou ASG no português) tem sido cada vez mais utilizado no mundo corporativo como uma diretriz para avaliar os impactos éticos e sustentáveis de uma empresa.

O ESG, portanto, se refere a processos e condutas de uma determinada organização no tocante a preservação do meio ambiente, impactos causados pela empresa na sociedade na qual está inserida e práticas de governança. Para entender um pouco mais sobre as especificidades do ESG, veja a seguir o que cada fator significa:

Fator ambiental

O fator ambiental do ESG refere-se aos impactos causados por uma empresa no meio-ambiente, o que inclui uso de recursos, eficiência energética, níveis de poluição, gestão de resíduos, emissões de carbono e compromissos com práticas sustentáveis. Organizações que possuem uma abordagem sustentável, investem na diminuição de seus impactos ecológicos e na promoção da conservação e preservação de recursos naturais.

Alguns exemplos de iniciativas ambientais:

  • Implementação de soluções de energia renovável;

  • Adoção de práticas sustentáveis na cadeia de suprimentos (em inglês, supply chain);

  • Uso responsável da água;

  • Redução das emissões de gases de efeito estufa;

  • Desenvolvimento de produtos e/ou serviços ecologicamente corretos.

Fator social

O fator social do ESG está relacionado a forma como uma empresa gerencia seus relacionamentos com funcionários, clientes, comunidades e outros agentes que compõem o seu negócio. Além disso, ele considera aspectos como o bem-estar de colaboradores, diversidade e inclusão, normas trabalhistas, direitos humanos, satisfação do cliente, segurança do produto, envolvimento com a comunidade e filantropia.

Organizações que possuem um forte desempenho social são aquelas que:

  • Priorizam práticas trabalhistas justas e dentro da lei;

  • Fornecem um ambiente de trabalho seguro e inclusivo;

  • Respeitam os direitos humanos;

  • Promovem o desenvolvimento das comunidades em seu entorno;

  • Produzem produtos que atendem a altos padrões de segurança.

Fator governança

Já a governança no ESG avalia a transparência, responsabilidade ética e eficácia da liderança e gestão de uma empresa. A governança inclui a independência do conselho, remuneração executiva, direitos dos acionistas, gerenciamento de riscos, bem como práticas comerciais éticas e conformidade com as regulamentações vigentes.

Uma governança eficaz garante que a organização mantenha altos padrões éticos, tenha um sistema de gerenciamento de risco eficaz e siga as leis e regulamentações de seu setor de atuação.

A importância do ESG para as organizações nos dias de hoje

A importância do ESG está relacionada a diferentes aspectos que ganham pesos distintos a depender do setor de atuação da organização e de seu tamanho. Entender o que é importante para os indivíduos que são impactados pelas ações da sua organização é fundamental na hora de determinar quais metas e riscos são mais relevantes na aplicabilidade do ESG.

Veja a seguir os principais motivos pelos quais empresas têm incorporado o ESG às estratégias e operações de seus negócios, de uma maneira a criar uma relação de confiança com todas as partes interessadas:

Reputação

Os consumidores estão cada vez mais conscientes sobre a necessidade de uma abordagem mais sustentável e têm buscado produtos e serviços éticos e com baixos impactos ambientais. As pessoas não têm buscado apenas preços competitivos, mas sim empresas que estejam alinhadas aos mesmos valores que elas enquanto consumidoras.

Construir uma reputação positiva com base nos valores ESG aumenta a fidelidade do cliente, atrai novos clientes e fortalece a confiança na marca. Uma análise de mais de 300 grandes empresas dos setores farmacêutico, bens de consumo, petróleo e gás, financeiro e tecnologia realizada pelo Boston Consulting Group revelou que aquelas com uma maior abordagem ética obtiveram maiores lucros e uma maior valorização em relação aos concorrentes.

Empregabilidade

Além disso, os colaboradores também querem fazer parte de organizações que causam um impacto positivo na sociedade e que estão comprometidas com o desenvolvimento das comunidades em seu entorno. Os melhores talentos querem contribuir para o meio ambiente, promover a sustentabilidade e são comprometidos com o respeito pelos direitos humanos.

Eles são mais propensos a serem engajados e leais quando trabalham para uma organização alinhada com seus valores e que correspondem aos seus anseios profissionais. Segundo a pesquisa Beyond Compliance de 2021 da PwC, 86% dos colaboradores preferem trabalhar para empresas que se preocupam com as mesmas questões que eles.

Acesso ao capital

O ESG tem ganhado cada vez mais um papel fundamental como métrica de investimento. Isso porque, os investidores estão progressivamente integrando os critérios de ESG em suas decisões de investimento.

Portanto, empresas que priorizam iniciativas ESG têm maior probabilidade de atrair capital de investimento. A Beyond Compliance da PwC também revelou que investidores destinaram 51 bilhões de dólares em fundos de impacto ESG em 2020, uma quantia duas vezes maior do que o investido em 2019.

Regulamentação

Governos e órgãos reguladores estão promulgando regulamentos e padrões mais rígidos relacionados a questões ESG. Essas normas e leis visam enfrentar os desafios ambientais, proteger os direitos humanos, garantir práticas trabalhistas justas e promover a boa governança. Organizações que integram as práticas ESG evitam problemas legais e de conformidade, mantendo um relacionamento positivo com os reguladores.

ESG e Cultura Organizacional

A Cultura Organizacional desempenha um papel fundamental na aplicação bem-sucedida dos fatores ESG dentro de uma organização. Uma cultura organizacional fortalecida, construída sobre valores compartilhados e um claro senso de propósito, fornece uma base sólida para integrar as práticas ESG nas operações da empresa.

Além disso, a Cultura Organizacional molda comportamentos, condutas e ações dos colaboradores. Portanto, uma Cultura que valoriza a sustentabilidade e práticas responsáveis, motiva e engaja os funcionários em iniciativas ESG. Quando os profissionais se sentem conectados ao propósito da organização e acreditam na importância do ESG, maior a probabilidade de contribuírem com ideias e se apropriarem de esforços de sustentabilidade, promovendo mudanças positivas dentro da empresa.

A Cultura Organizacional também desempenha um papel crucial na construção e manutenção de relacionamentos pautados na confiança com as partes que compõem o negócio, incluindo colaboradores, clientes, investidores, comunidades e reguladores. Uma Cultura que valoriza os princípios ESG aumenta a confiança das partes interessadas, demonstrando o compromisso da empresa com a sustentabilidade, práticas éticas e criação de valor a longo prazo.

E por fim, o ESG está intimamente ligado ao gerenciamento de riscos. Uma Cultura que prioriza a conscientização de riscos e a mitigação dos mesmos aprimora a capacidade da organização em identificá-los e gerenciá-los. Ao incorporar o gerenciamento de riscos à Cultura, as empresas podem abordar com eficácia os riscos ambientais, as controvérsias sociais, a conformidade regulatória e os desafios da reputação.

A Cultura Organizacional que é pautada pelas diretrizes ESG, portanto, conduz a práticas de negócios sustentáveis e responsáveis.

Por meio da nossa Consultoria para Fortalecer a Cultura Organizacional, nós do Instituto Mudita, podemos te ajudar na implementação e/ou fortalecimento de comportamentos alinhados a uma Cultura que olha para as diretrizes ESG. Entre em contato conosco através do WhatsApp 011 99785-4331 para saber mais sobre o nosso trabalho.

Outros textos que podem te interessar:

5 Passos para colocar a Cultura Organizacional em prática

Qual a relação entre Investimento e Cultura Organizacional?

Importância da Cultura Organizacional para atrair e reter talentos

 

×